Como a fisioterapia pélvica e pode te ajudar a mudar na cama!

Homens e mulheres podem sofrer dor ou desconforto durante as relações sexuais. Aproximadamente 40% das mulheres experimentam algum tipo de problema sexual durante a vida. Existem muitos fatores que podem contribuir como fraqueza dos músculos do assoalho pélvico: lesões cutâneas, diminuição do fluxo sanguíneo, problemas das articulações, uso de drogas, medo da dor experimentada em relações anteriores etc.


O assoalho pélvico é formado por diferentes planos musculares. O mais superficial é responsável pela função sexual, enquanto o mais profundo é responsável pela continência urinária e fecal e o suporte dos órgãos pélvicos. O plano superficial contém um conjunto de músculos e estruturas responsáveis ​​pela lubrificação e ereção do clitóris. Portanto, se temos um assoalho pélvico enfraquecido, a função do clitóris pode ser afetada, tornando difícil ou impossível atingir o orgasmo.


Além disso, o responsável pelos espasmos agradáveis ​​que experimentamos durante o orgasmo é o pubococcígeo, um músculo que envolve as paredes da vagina. Se esse músculo enfraquecer, no momento do clímax não terá força suficiente para se contrair rapidamente, de modo que o orgasmo não seja muito intenso.


As disfunções sexuais mais comuns são: diminuição e falta de sensibilidade sexual, diminuição da intensidade ou ausência do orgasmo e dor durante a relação sexual.


Tratamento

A maior parte dos problemas relacionados ao assoalho pélvico são solucionados com a Fisioterapia Pélvica. Os principais fatores abordados no tratamento são:

  • Aprender a localizar e reconhecer os músculos do assoalho pélvico. Uma grande porcentagem de mulheres não sabe onde estão ou o papel que tem o assoalho pélvico.

  • Exercer a contração dos músculos do assoalho pélvico sem contrair simultaneamente os músculos das nádegas ou coxas, se isso não for necessário.

  • Fortalecer os músculos do assoalho pélvico. Para isso, poderá ser usado equipamentos ou exercícios específicos.

  • Aprender a integrar a musculatura do assoalho pélvico em nossa vida diária. Dessa forma, saberemos como protegê-lo de esforços desnecessários e, claro, aprender como usá-lo durante as relações sexuais para torná-lo mais satisfatório para mulheres e homens.

Exercícios

A primeira coisa a mencionar é: todos os exercícios terapêuticos devem ser projetados, avaliados e controlados por um profissional. Nesse caso, um fisioterapeuta. Somente ele/ela é treinado para avaliar as estruturas do assoalho pélvico e estabelecer um plano de tratamento com exercícios terapêuticos personalizados.



Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Unidade República - Av. Ipiranga, 318, Bloco A - nº 401 B - Centro, São Paulo
Unidade Vila Olímpia - R. Gomes de Carvalho, 1765 - Cj. 92- Vl. Olímpia, São Paulo